Terra Suja Vista Imunda

by Narayama

/
  •  

1.
00:14
2.
3.
00:26
4.
00:20
5.
00:18
6.
00:24
7.
00:24
8.
9.
10.
11.
06:23

credits

released November 1, 2013

tags

license

feeds

feeds for this album, this artist

about

Narayama São Paulo, Brazil

grindcore anticapital

contact / help

Contact Narayama

Streaming and
Download help

Track Name: Inexplorado
Um uma, outro outras
Fila. Erguem bandejas
Servem à cidade
Depois se deitam
E nunca vivem
Track Name: Sem a Espinha
Arqueiam, empilham-se. Sem sustento.
Em claro
Por noites
Não agem. Reagem. Sem pau
que levante a espinha
Track Name: Terra Suja
A queda de um corpo nu.
Amarra-se a bota em uso.
A queda de mil corpos nus.
Track Name: Raízes
Disparos feitos consecutivamente.
Ceifada a raiz, caiu tronco:
O solo repleto,
A casa vazia.
Precedendo a pólvora: socos.
Track Name: À Luz Opaca
Onde as lâmpadas se apagam, esquecidas
Centelhas insurgem e incandescem.
Track Name: Presença
Sentada e só.
não, não esperava alguém.
Chamaram-na "amor".
Ao virar as costas foi vista com outro rosto.
Track Name: Espera
Não existem árvores o suficiente.
Nem que houvesse.
Não para o ar puro, nem mesmo para o suicídio.
Nada que sobra suporta o peso da experiência.
Nem que suportasse.
Track Name: Caixa Negreira
Amontoam-se corpos (sobre corpos) sobre blocos
Blocos sobre concreto e grades se movem
Sobre o solo. E mais corpos
Para que mais blocos se concretizem.
Track Name: Não Existem Vizinhos
Tudo foi levado por quem mais fendeu até então.
Track Name: Em Todo Lar Uma Medeia
Ainda há o lado que negam os surdos,
E que aos poucos se faz ouvir pela extirpe:
Que sejam privados os laços fraternais.
O pai jaz sobre suas vísceras;
Os varões desfalecem em prantos.
Track Name: Vista Imunda
"É insuficiente. É cabalmente desonesto com sangue e veias por onde circula o sangue. É insuficiente que seja retratado o que seja visto e que o visto seja evidente mediante alguns jogos de luzes que são manuseadas arbitrariamente por quem quer que seja. A garantia da verdade é insuficiente também se pensa que a perspectiva influencia mais do que o próprio objeto em análise. Mas ainda qualquer espreita qualquer ponto de vista é insuficiente. A luz que vem de cima escurece todos que não podem ver ou olhar para o alto e então são soterrados nas mesmas pedras de onde quem ilumina garantiria outrora seus retornos. E quem pode garantir que essa luz emitida estivesse de fato iluminando e não ocultando outro ponto de maior interesse por trás dessa luz está ocultando ainda mais alguma coisa. Essa luz que vem de cima tem a única intenção função clara de esbranquiçar e quem fala o que vê ao público tem a única intenção de falar o que sente mas não só isso quer privar a todos de suas faculdades sensíveis então que todos apenas olhem para frente e sigam seus caminhos e quando os olhos prostrados forem evocados para o alto que nada mais seja visto ou sentido."